Voltar à Página Principal

Monumentos
Santuário Srª Remédios
Igreja de Almacave
Igreja das Chagas
Igreja da Sé

Castelo de Lamego

Museu de Lamego
Teatro R. Conceição
..................................
História
História de Lamego

Cronologia
Fotobiografia
..................................

Cidade e Região
Localização
Alojamento

Artesanato
Gastronomia
Estatísticas
..................................
Festas e Feiras
Festas Srª Remédios
Expodouro

Semana Santa

Entrudo de Lazarim
Outras Festas
..................................

Ficha Técnica
O autor
Publicidade
Bibliografia

 

Festa de Nossa Senhora dos Remédios, Romaria de Portugal 
(De fins de Agosto a meados de Setembro)

As Festas em honra de Nossa Senhora dos Remédios trazem a Lamego, todos os anos, cerca de trezentas mil pessoas. Com duas vertentes, a religiosa e a profana, a Romaria de Portugal vai crescendo de ano para ano, aumentando também o variado programa, estendendo-se actualmente por cerca de três semanas, com espectáculos, exposições, concertos, desfiles, procissões e outras actividades religiosas, feiras, eventos culturais e desportivos. O inicio da Romaria perde-se no Séc. XIV, com a implantação no monte onde hoje se ergue o Santuário de Nª Sª dos Remédios de uma pequena capela dedicada a Stº. Estevão. Era realizada uma feira franca nos dias 6,7 e 8 de Setembro, hoje os principais dias das festas. Em 1750 inicia-se  a construção  do Santuário e com  ela uma pequena festa em honra da Virgem nos dias 5 de Setembro. Em 1905 termina a construção de grande parte do Santuário, excepção feita aos azulejos que revestem os muros e a parte nova do escadório que o liga ao centro da cidade. Desde essa altura as festas foram sempre crescendo.

Av. Dr. Alfredo de Sousa num dos principais dias das festas

Parque de diversões

Em 1939 as festas decorriam já de 24 de Agosto a 11 de Setembro. É em 1948 que o cronista relata a grande quantidade de pessoas que as festas atraem: “de toda a parte chegaram forasteiros, senhores ricos nos seus carros de luxo e gente das aldeias. Já há muitos anos que não se via tanta gente  em Lamego na tarde do dia 8.”  Em 1968, por ser fim-de-semana nos dias 7 e 8, a afluência ás festas já rondava as duzentas mil pessoas. 

No ano de 1988 a Marcha Luminosa era apelidada de "um tanto abrasileirada", sendo sempre muito bela e animada. No dia 8 de manhã "era  incontável o número de noctívagos que dormitavam nas ruas da cidade... peregrinos duma noite mais longa retemperavam energias". A azafama e animação começa logo no fim de Agosto com a abertura das Festas, normalmente no dia 25.  O  cartaz  com  os

vários eventos é  cumprido  manhã,  tarde e á noite animando os locais e os romeiros que chegam. No dia 6 entra-se nos principais dias da Romaria havendo à noite varias sessões de fogo de artificio e a já muito famosa Marcha Luminosa. Sendo dos pontos mais altos destas três semanas, a Marcha Luminosa percorre as principais ruas e avenidas da cidade, enchendo-as de luz e cor. Nela desfilam dez carros alegóricos, com temas alusivos á cidade  e  não  só,  espaçados por ranchos folclóricos, escolas de samba, bandas populares da  região, etc.

Batalha das flores

Batalha das flores

A Batalha das Flores, que acontece no dia 7 pela tarde, consiste na repetição da Marcha da noite anterior, desta vez sem a luz que a caracteriza durante a noite. Neste desfile diurno as pessoas atiram sobre os carros alegóricos,  figurantes e artistas pequenos quadrados de papel de várias cores dando um ambiente muito colorido, daí o nome de Batalha das Flores. Durante a noite além do espectáculo de fogo de artifício existem as rusgas e as bandas populares que invadem a cidade desde o anoitecer até o amanhecer, é a grande noite da Romaria. 

Mas é talvez a procissão  em honra  de  Nossa  Senhora  no  dia  8  de  Setembro,  feriado  municipal,  que  constitui o verdadeiro  chamariz da Romaria de Portugal. Os andores que ostentam  as  imagens  sagradas  são  puxados por carros de bois, característica única em todo o mundo. Todos os anos a tradição se cumpre, a cidade fica mais alegre e colorida. Um pouco por todo o lado desde os jardins da cidade até á mata do Remédios, os romeiros partilham os farnéis, caminham alegres pelas ruas, dormitam aqui e ali. Sempre foi assim, desde os seus pais, avós e bizavós. Apesar de lentamente isto estar

Desfile etno folclorico

a mudar, a tradição, nestas festas, ainda é o que era...

Início da Página :: Página Principal :: Bibliografia :: Contacto


© 2001 Lamego Digital - Todos os direitos reservados
Última actualização: segunda-feira, 23 de Agosto de 2004